Mosquito transmissor Leishimaniose

A Leishmaniose é uma doença infecciosa causada por protozoários do gênero da Leishmania, transmitidos por picadas de insetos, principalmente de mosquitos. É considerada uma zoonose, pois afeta tantos os humanos quanto os animais. A leishmaniose possui dois tipos diferentes, a visceral e a cutânea.

A Leishmaniose Visceral, popularmente conhecida como Calazar, é a mais perigosa e pode ser fatal e levar os animais ao óbito. Há alguns anos, a doença era presente somente na região nordeste do Brasil, mas hoje já existem casos de cães infectados em todas as regiões.

Tratamento para Leishmaniose Visceral

Hoje o único tratamento disponível no mercado para o tratamento da Leishmaniose Viceral é o remédio Milteforan, fabricado pela Virbac. O principio ativo é o Miltefosina, que atua matando o parasita. É um tratamento que apresenta alta eficácia e é bem seguro, pois não nefrotóxico e não sobrecarrega os rins.

Como saber se seu cão está infectado por Leishmaniose?

O diagnóstico da Leishmaniose Visceral Canina pode ser feito através de sorologia, com amostras de sangue do seu animal. Procure um laboratório de confiança para fazer os exames em seu animal.

Prevenção da Leishmaniose

Hoje a Leishmaniose pode ser prevenida de duas formas:

  • Vacina: hoje existe uma vacina fabricada pela Ceva que protege os cães e gatos. Esta vacina dever ser aplicada em uma dose tripla na primeira vez, e depois renovada anualmente. Antes da vacina ser aplicada, o animal deve ser submetido a um exame para garantir que já não possua a doença.
  • Repelentes: a utilização de repelentes, presentes em muitos antipulgas para cães e gatos também é uma boa forma de prevenção. Produtos como a Seresto, Scalibur, Leevree ou o Advantage Max3 possuem repelentes que impedem que os mosquitos transmissores da Leishmaniose piquem sem animal.

 

Consulte sempre um médico veterinário antes de usar qualquer medicamento.

Comentários Fechados.